Cortar o cabelo é a mesma coisa que tosquiar? VEJA!

 Praticamente não tem como falar do cabelo sem mensionar o uso véu, porque tudo esta relacionado em Corintios, mas esta relação acontece porque Paulo se encontrava em um igreja problematica onde até mesmo a forma de vestir se torna um problema.




A Bíblia proíbe a mulher de cortar o cabelo?

Alguns afirmam que a proibição esteja em 1 Coríntios 11mas ali não está falando de cortar o cabelo, mas de rapar a cabeça.

(1 Cor 11:6)  Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu.

Muitas pessoas têm dificuldade em entender que existe uma diferença entre "cortar" e "tosquiar" na língua portuguesa e também em qualquer idioma. Consultei alguns dicionários e eles mostram que tosquiar  é: contar rente, aparar rente ou rapar.

A igreja era rebelde, pelo que se entende as mulheres queriam abandonar o costume do véu (tradição daquele país), portanto Paulo diz: "...se a mulher não se cobre com o véu, tosquie-se também, mas se é desonra tosquiar-se, que ponha o véu." dizendo que: É incoveniente um incomodo usar o véu? Então rapa a cabeça também, serviço completo. Tudo indica que a forma de expressar era para fazer o povo refletir sobre o que seria pior, ou no que poderia chegar tanta desobediência.

A passagem de 1 Coríntios está dizendo que a mulher não deve rapar a cabeça. A palavra no grego é "keirō", também usada para barbear-se, isto é, rapar-se com uma navalha.

Não existe problema em uma igreja brasileira adotar o uso do véu, (como fazem a Congregação Cristã no Brasil e suas dissidentes) pois mesmo que isto pareça incomum diante da cultura local, a prática não fere padrões de dignidade e respeito.

Há problema sim em "divinizar" o uso do véu como se Deus não ouvisse ou não aceitasse as orações de mulheres com a cabeça descoberta, isso não tem base bíblica nenhuma. O fato de o apóstolo Paulo incentivar o uso do véu na igreja de Corinto iria reparar um problema social e moral que prejudicava a qualidade do culto local, mas não tinha a intenção de fazer Deus ouvir orações que antes não ouvia.

Na Congregação Cristã no Brasil nao existe estatuas de santos nem sabonete sagrado como em algumas denominações, mas igualmente existe a idolatria no véu e no proprio local de culto por parte de alguns que ainda não buscaram conhecimento na biblia.

Faço minhas as palavras de Paulo: "Julgai entre vós mesmos!" e "Se alguém quiser criar contenda por isso, nós não temos este costume, nem as igrejas de Deus".

Quanto às vestes, devemos procurar nos vestir com modéstia e bom senso, e isto inclui entendermos a época e o país em que vivemos. No oriente médio os homens usam vestidos, como nos tempos dos primeiros cristãos, e lá não é nenhum escândalo um cristão usar um vestido. Colocar regras e modêlos de roupas para os crentes, como fazem alguns, é excluir irmãos e irmãs fiéis que moram em lugares como a África ou a Índia e que se vestem diferente de nós. Seria interessante se você pudesse encontrar em alguma livraria evangélica o livro "O Segredo Espiritual de Hudson Taylor" publicado pela Mundo Cristão.

Hudson Taylor foi um dos maiores missionários do século passado e por meio dele e da Missão Para o Interior da China que ele fundou, milhares de pessoas naquele país receberam o evangelho e foram salvas.

Quando ele chegou à China, os missionários ingleses viviam apenas em algumas poucas cidades do litoral e ninguém se atrevia a entrar pelo interior. Também quase não havia fruto do trabalho e os chineses achavam estranhos aqueles homens vestidos de maneira engraçada. Quando Hudson Taylor viu que ao pregar, os chineses prestavam mais atenção na sua roupa do que na mensagem, decidiu vestir‑se como os chineses.

Passou a usar sapatilhas, calças e blusões largos de cetim, e até mesmo tingiu seu cabelo de preto e colou tranças postiças em sua cabeça, usando ainda um chapéu no formato de um cone. Foi expulso da missão a qual estava ligado e os outros missionários passaram a criticá‑lo e perseguí‑lo por não se vestir de terno e gravata, como era o costume dos cristãos inglêses. Mas a partir daí os chineses não reparavam mais nas roupas de Hudson Taylor e começaram a ouvir sua mensagem. Deus começou a salvar aquelas almas e Hudson iniciou a Missão Para o Interior, na qual todos os missionário vindos da Inglaterra se vestiam como chineses.

Despeço‑me, rogando a Deus que possa guiá‑lo no conhecimento da Sua vontade, para que não se firme em homens, doutrinas, dogmas e nem mesmo na sua própria vontade. Somente em Cristo encontramos o que precisamos. Somente Ele nosso Deus, é a graça verdadeira.

Deus abençoe por vossa atenção!

(post-ads)
TAG