Emocionado, caminhoneiro desabafa: ‘Me sinto um mendigo procurando por comida’



O caminhoneiro Ilizeu Kosooski, de 34 anos, fez nesta segunda-feira, 23, um desabafo que comoveu as redes sociais. Em vídeo publicado no Facebook, que possui mais de 640 mil compartilhamentos, o motorista criticou as condições que caminhoneiros estão trabalhando, diante da pandemia do novo coronavírus. 

Emocionado, ele relata que durante sua rota, precisou parar em um restaurante na BR-101, em Casimiro de Abreu (RJ), e o que encontrou foi o comércio sendo fechado. “O único restaurante que estava aberto era de uma senhora. Por volta das 16 horas, chegou a vigilância e mandou fechar o local. Hoje, ela vendeu marmitas para nós, eu ia ficar para jantar porque lá eu tinha certeza que teria comida, agora já não sei mais”, disse.
fechamento restaurante, coronavírus
Fechamento do restaurante relatado pelo caminhoneiro
No vídeo, Kosooski comenta que há poucos caminhoneiros nas estradas. Segundo ele, muitos estão com medo da doença. “Eu olho para a rodovia e ela está assim, vazia, todos estão trancados em casa, mas ninguém pensa em manter o Brasil em pé. Mas se a gente não transportar o alimento, como os médicos e enfermeiros conseguirão trabalhar? Eles também precisam se alimentar”, questiona.
Ele faz ainda um apelo ao governo para que mantenha restaurantes e outros comércio essenciais abertos nas rodovias. “Será que não está na hora se amenizar a situação, deixar restaurantes abertos, dar suporte para nós. Precisamos do apoio de todo mundo. As autoridades precisam saber que a gente precisa de suporte nas estradas”.
O Canal Rural questionou o Ministério da Infraestrutura sobre a dificuldade relatada pelo caminhoneiro. Em nota, a pasta respondeu que está atuando junto a governadores e entidades representativas dos municípios brasileiros para garantir a livre circulação de cargas. O ministério ainda informou que em reunião realizada na noite desta quarta-feira, 25, com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), ficou acertado que os prefeitos receberão uma nota técnica e uma sugestão de minuta de decreto. Os documentos devem servir de base para que os gestores municipais garantam o funcionamento de atividades ligadas ao transporte.
No dia 20 de março, o governo federal publicou a medida provisória 926 e o decreto 10.882 definindo que atividades ligadas ao agronegócio e ao transporte de cargas – como os pontos de alimentação localizados em rodovias – também são essencias. Por conta da essencialidade, esses comércios devem permanecer em funcionamento durante a quarentena. 


“Vocês que estão em casa, vocês ainda têm alimentos, sim né? Somos nós que estamos transportando, vocês não estão percebendo isso. Ninguém está apoiando nossa classe”, diz.
TAG